terça-feira, 9 de julho de 2013

A cena doce

Quando era adolescente sonhava em fazer psicologia. Foi o professor Quirino que me despertou esse desejo,  quando no currículo da escola publica ainda tinha essa disciplina.
Iniciei o curso em uma universidade particular, mas tinha muita dificuldade pra pagar.  Graças a uma amiga e meu empenho consegui passar num processo seletivo de vagas remanescentes de uma universidade publica de São Paulo. Em 1995 fui para cidade de Bauru. No ano de 2000 tinha meu diploma na mão mais dois tesouros nos braços (Iago e Sara) e um terceiro presente eu mesma havia me dado: a coragem de lutar sozinha.
Voltei para Campinas e assim foram os seguintes oito anos, demorei pra ingressar na área da psicologia,  fiz várias outras coisas, entre elas: comida. Engraçado que depois que fui  mãe sempre em momentos difíceis em que eu não  conseguia trabalho, a saída era ganhar dinheiro fazendo algo que não dependia de muita coisa. Na maioria das vezes foi a comida que me salvou. A primeira coisa que fiz foi fatias húngaras, um pãozinho doce recheado de coco, uma receita da minha tia avó. Depois uma amiga  me chamou pra fazer outras coisas e começamos a fazer tortas salgadas e bolos pequenos. Fiz também saltenha, um típico salgado argentino que não fez muito sucesso.
Em 2008 numa nova fase da vida, surgiram os doces. Comecei a aventura, fui experimentado,  lendo livros e pesquisas na internet. Assim os doces começaram a dividir espaço  com a psicologia, era uma doce e ao mesmo tempo, amarga aventura

Em 2011 nos mudamos para Belo Horizonte, a segunda renda virou a primeira e unica,  abri um empreendimento. O nome já passeava nas minhas idéias. Docemente foi inspirado nas experiências de uma organização que frequento,  a Brahma Kumaris, em eventos especiais ela oferece um doce como presente e uma mensagem de positividade. Um doce para o corpo e para mente (ou alma) Docemente.

4 comentários:

  1. Pois é, Rosana, e pensar que te conheço antes desta história da sua vida, quando você só sonhava em estudar psicologia, foi uma batalha árdua, mas vencida pelo seu esforço e perseverança, sempre acreditando que ia dar certo, que ia vencer, e venceu todas as dificuldades, e os momentos amargos, hoje docemente lembrados...Abraço.

    ResponderExcluir
  2. Querida, gratidão por compartilhar e fazer parte dessa lembrança.

    ResponderExcluir
  3. Oi saudades de você e dessas suas gostosuras cada dia melhor hein você está de parabéns te espero o mais rápido possível desde que você foi embora nunca mais comi algo tão bom quento o seu na mão de outros vendedores!!!!!!!Bejão

    ResponderExcluir

obrigada pela visita !Seu comentário é muito importante!!