segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

O segredo das Rosas

"Na terceira semana do advento acendem-se as velas azul, vela verde e a vela amarela. Colocam-se os animais no prespeio representando o mundo animal e sua ligação com o mundo anímico (elemento ar)."
a historia de hoje é:
Segredo das Rosas
Como a mãe de Deus tinha ficado contente com o perfume das rosas, que haviam brotado dos arbustos espinhentos! Ela logo havia recolhido um ramalhete e carregava-o nos braços, debaixo do seu manto. As rosas continuavam vivas e conservavam seu delicioso aroma para Maria.
Maria e José encontraram então, passando perto de Jerusalém, três soldados romanos. Estes se comportavam como se fossem os donos do mundo e gritaram lá de longe:
- Abram alas para o exército romano!
O burrinho, que saltitava inocentemente em sua direção, levou um empurrão tão forte do soldado mais bruto, que assustado deu um pulo para o lado. Maria e José haviam ido para o lado, pois mesmo que houvesse lugar para todos na rua, eles não queriam dar motivo para briga. Mas era exatamente isso que o soldado bruto queria. Quando viu Maria tão humilde, com seu manto cobrindo as rosas , ele se acercou dela e gritou, rindo na cara:
- Eh, pombinha, que escondes aí? Deixe ver se não é algo útil para nós!
Mas ele mal havia esticado a mão para agarrar as rosas, retirou-a rapidamente xingando. A mão estava arranhada e sangrando.
- Mas o que carregas aí?- resmungou com raiva o soldado.
E Maria abriu seu manto e lhe mostrou o ramalhete: somente com galhos cheios de espinhos! Antes que o soldado se recuperasse do seu assombro, seus camaradas se acercaram dele e um deles disse:
- Deixe estar, Varus. Não sabemos qual o sofrimento dessa mulher, para que se adorne com espinhos.
O outro, que já se havia arrependido de ter começado uma briga com pessoas tão pobres, seguiu silenciosamente seu caminho, atrás dos companheiros.
Maria olhou então para os espinhos. Deus e seu orvalho misericordioso não haviam transformado os espinhos nas mais lindas rosas? Onde estavam as flores agora? Havia acabado tudo? José, percebendo sua tristeza, pôs sua mão carinhosamente no seu braço e disse, querendo consolá-la:
- Fique contente pois elas floresceram tanto tempo para ti, Maria!- e jogue esses galhos secos fora.
Mas Maria sacudiu a cabeça.
- Eu conheci o segredo das rosas. Como poderia agora deixá-los jogados na beira do caminho?
E com muito cuidado envolveu os pobres galhos dentro do seu manto. No seu coração ressoavam ainda as palavras do soldado romano: “Não sabemos qual o sofrimento dessa mulher, para que se adorne com espinhos.”
Que as pessoas pensassem o que quisessem; esses espinhos já haviam florescido uma vez. E ela iria desprezá-los agora que estavam tão feios?
De repente, Maria sentiu aquele perfume suave, que as rosas havia exalado por tanto tempo para ela. Quando olhou com cuidado, debaixo do seu manto, os galhos floresciam novamente em todo seu esplendor.

E essas rosas floresceram para Maria até o momento em que ela deu à luz a Criança Divina no estábulo em Belém.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

obrigada pela visita !Seu comentário é muito importante!!