quarta-feira, 28 de outubro de 2015

Nascidos em outubro

Minha ginecologista me disse esse ano que eu ainda poderia ser mãe. Uma estranha alegria me tomou, digo estranha, pois isso pode ser considerado uma insanidade por muitos, até por mim mesma. Mas  o sonho de ser novamente mãe começou a me cutucar e  sendo isso impossível no momento, me veio um insigth: esse filho nao precisava ser biológico, mas talvez um grande projeto e a realização desse sonho de  uma outra forma.

E essa gestação foi longa,  muitas dificuldades,  mas esse sonho nasceu ontem,  27 de outubro, na lua cheia. Melhor impossível, outubro mês em que eu nasci, mes em que meus outros dois filhos nasceram... nasce também  Docemente Terapêutico, um espaço de muitas possibilidades...



sábado, 3 de outubro de 2015

Seu lar é seu refugio

Seu lar é o seu refúgio.

Aproveite sua saúde. 
Se for boa, preserve-a.
Se está instável, melhore-a.
Se está abaixo desse nível, peça ajuda.
(Pablo Picasso)

sexta-feira, 2 de outubro de 2015

Que horas ela volta? quem sabe na pimavera

Esse primeiro final de semana da primavera em 2015 foi muito rico e florido. Foram presentes do universo. O primeiro presente foi dado pela minha filha, de 15 anos, me convidando para assistir o filme: "Que horas ela volta?" Adorei e entre tantos detalhes que o filme traz, dormi e acordei com a pergunta que as duas crianças fazem sobre suas mães:  que horas elas voltariam do trabalho. Algumas reflexões dessa mulher moderna e antiga ao mesmo tempo, são feitas pela Cristiane Brasileiro no blogueirasfeministas .

O segundo presente foi a oportunidade de participar no curso Transpessoal de Liderança Feminina, da Mani Alvarez, do Clasi. Ele me fez pensar em algumas respostas para a pergunta daquelas crianças em alguns passos:
a) Tornarmos conscientes da nossa historia, lembrar que antes do sistema patriarcal eramos consideradas divindades num sistema diferente, matrilinear ou matrifocal. Talvez tenhamos que lutar contra esse sistema atual, não como guerreira, mas como mulheres sábias.
b) Tornarmos conscientes de nossa força, nosso amor, nosso poder... Sugiro esse curso as mulheres que estiverem dispostas a fazer este mergulho.

E como diz Fiona MacLeond "Acredito que estamos proximos de uma grande e profunda transformação..." São mistérios do sagrado  feminino, que aliás foi meu terceiro presente, um Festival de Primavera no Prema Sai Chão de Florir no domingo. Foi tão mágico que a noite ao me deitar as imagens que povoavam a minha mente era de um  reino de paz, um paraiso de deusas e muitas flores. Que nós mulheres possamos nos encontrar novamente para celebrar outras luas. Segue abaixo algumas imagens desse reino não muito distante.

Assim,  de volta a pergunta: "Que horas ela (essa mulher) volta?" 
Quem sabe numa primavera, numa estação, numa lua, numa oportunidade em que  ela consiga ouvir o chamado para voltar para casa (essa casa é seu interior).
A resposta está no fundo do coração de todas nós.
as imagens que não contem marca d'agua são do fotografo Rodrigo França
Esse é um post também publieditorial, os links são de conteúdos com os quais o blog se identifica e recomenda!