domingo, 29 de março de 2015

As árvores e a profecia celestina

Faz mais de 2 meses que estou rascunhando esse post. Tudo começou no inicio de janeiro de 2015, quando descobri que iria ter um retiro de final de semana sobre um dos meus  livros preferidos:  A Profecia Celestina. Seria na sede de retiros da Organização Brahma Kumaris  facilitado pelo Marco s Adriano Infantozzi. Como faltava uma semana pro evento, não tinha a garantia de vaga, hospedagem e  pouco dinheiro, mas mantive o pensamento certo de que  conseguiria participar. Consegui fazer a inscrição, mas sem hospedagem no local,  nem na região de acordo com aquilo que eu poderia pagar. Mesmo com medo e essas incertezas, fui.

Cheguei no sábado e tive que aguardar até a hora do almoço para saber o que faria em relação a hospedagem, um frio na barriga vinha quando pensava que não teria onde dormir  mas também vinha um sentimento de que tudo daria certo. Enfim a organizadora do evento veio me dizer que uma pessoa havia faltado, assim teria hospedagem no local, o que foi um grande presente, pois aquele é um lugar mágico e lindo. 

Foram muitas vivencias nesse retiro mas uma em especial, é a que quero compartilhar.

Num exercício de observar e interagir com a natureza...que é um capitulo do livro, falando sobre como essa beleza eleva nossa energia, após uma meditação cada um saía a caminhar, contemplar e escolher algo da natureza local para fazer a experiencia de compartilhar essa beleza. Eu escolhi uma árvore pequena que ficava num morro. 
Abracei-a,  de olhos fechados senti a uma paz profunda, depois de um tempo percebi insetos subindo em mim, eram formigas. Um punhado de flashs começaram a surgir na minha mente. Lembrei de uma senhora que naquela  semana dividiu comigo  o banco num ônibus. Ela estava muito brava com calor que fazia, eu disse a ela o que tenho repetido mecanicamente nos últimos anos: "a gente precisa plantar mais árvores !!" e ela me perguntou: "mas quem vai fazer isso?? "a gente",  respondi e percebi nesse flash que eu não me incluía nessa 'gente' que tinha que plantar. 
A pergunta dela naquele momento fazia sentido...eu tinha que ajudar a fazer isso!!
Um outro flash era a repetição do meu sobrenome, não entendia, depois  ficou claro, meu sobrenome é uma árvore, Carvalho. Não lembro dos outros flash só dos sentimentos...tendo como missão, ajudar a plantar árvores. Como? eu ainda não sabia, mas as respostas começaram a chegar. 

Na semana seguinte esse tema passou a me perseguir...fui juntando tudo e aos poucos vou publicando aqui.  Nessa ultima semana lendo a revista Bons Fluidos  na sessão do Carlos Solano, Prosas da Casa, o ultimo empurrão, era sobre  o lançamento de seu livro: Nossas Arvores, o Resgate do Sagrado  e também vim a saber que o ultimo domingo de março, é o dia Internacional de Subir em Árvores (Internacional Tree Climbyng Day) então esse é o dia propicio para a publicação

"Quando estou no papel quero: dominar, quando estou na essência, quero contribuir." M. Adriano

"É maravilhoso que ninguém precise esperar nem um instante para começar a mudar o mundo"
 Anne Frank
essa é uma foto que por acaso minha sombra saiu estampada no tronco da arvore, mas,  acasos nao existem.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

obrigada pela visita !Seu comentário é muito importante!!